Semana do Meio Ambiente no Conjunto Nacional

1024 683 Conjunto Nacional

Conjunto Nacional recebe atividades da Semana do Meio Ambiente e da Virada Sustentável

Condomínio Conjunto Nacional, Instituto Akatu, SOS Mata Atlântica e Carta da Terra apresentam exposições, filmes, debates e convidam o público para performance artística interativa.

São Paulo, SP | Conjunto Nacional | Sustenturbanidade

Em comemoração à Semana do Meio Ambiente, o Condomínio Conjunto Nacional, o Instituto Akatu pelo Consumo Consciente, a Fundação SOS Mata Atlântica e Carta da Terra participam da Virada Sustentável em São Paulo.

A Semana do Meio Ambiente Akatu-Condomínio Conjunto Nacional-SOS Mata Atlântica-Carta da Terra tem o apoio do Cine Livraria Cultura, da Virada Sustentável, da Associação Brasil SGI, do Instituto Cultural Barong e da Auwe Digital.

A semana foi aberta no dia 3 de junho, com a exposição “Sementes da Mudança: A Carta da Terra e o Potencial Humano”, no Espaço Cultural Conjunto Nacional. “Em meio a tantos desafios planetários nos tempos atuais, o nosso objetivo com esta exposição é inspirar as pessoas através de exemplos práticos a fazer a sua parte na transição para um mundo sustentável” afirma a brasileira Mirian Vilela, Diretora Executiva Mundial da Carta da Terra. Um flash mob na galeria convida o público a participar e discutir sobre nosso estilo de vida atual. A atividade foi coordenada pelo Coletivo Contrafilé. “A ideia é criar um estranhamento nas pessoas, questionar os padrões de produção e consumo e a necessidade de mudanças”, diz Clara Camargo, representante do Akatu na organização da semana.

O Akatu também mantém um estande com publicações e banners em frente ao Horsa I, para divulgar informações sobre o consumo consciente e como praticá-lo facilmente no dia a dia. Qualquer pessoa pode fazer gratuitamente, em segundos, o Teste do Consumidor Consciente, para saber se o seu estilo de vida melhora ou piora sua saúde e sua qualidade de vida. O teste também avalia como seu consumo de produtos e serviços, seu gasto de água e energia, seus meios de transporte e seu descarte de resíduos impactam o ambiente da cidade. Depoimentos são gravados e veiculados nas redes sociais e no portal www.akatu.org.br para incentivar a geração de uma grande galeria de consumidores que possam trocar experiências simples e multiplicar resultados inovadores e mobilizadores na gestão da água, da energia e do lixo, na fiscalização de estabelecimentos e fornecedores para sejam cada vez mais responsáveis, na identificação de cadeias produtivas mais limpas e no alerta sobre empresas que falam uma coisa, mas fazem outra. É o poder do consumidor consciente e atento que pode contribuir para mais sustentabilidade nos negócios. A rapidez e a democracia da internet aumentam esse poder.

A mais recente pesquisa do Akatu sobre o perfil do consumidor aponta que 44% deles não acreditam na informação passada pelas empresas e um dos principais motivos para mudar de fornecedor ou de marca é a propaganda enganosa. A maioria avalia que é papel também dela e das empresas contribuir para um mundo mais justo e ambientalmente equilibrado.

A SOS Mata Atlântica que, assim como o Akatu, tem sua sede no Conjunto Nacional – apresenta em seu estande produtos sustentáveis como camisetas feitas com fibras de garrafa PET. E a exposição da ONG mostra a evolução do seu programa de voluntariado. Há, ainda, um painel fotográfico da campanha Vá de Galinha, que incentiva o uso de transporte público e outras alternativas para evitar o trânsito das grandes cidades. E, do Centro de Experimentos Florestais da Fundação, veio um jogo que representa o funcionamento de uma fazenda com áreas protegidas e atividades rurais.

PROGRAMAÇÃO


Cartaz oficial da “Semana do Meio Ambiente”, do Conjunto Nacional.


Dia 3 (sexta-feira)
Espaço Cultural Conjunto Nacional – Piso térreo

10h: Abertura da Semana do Meio Ambiente
Participação dos representantes do Condomínio Conjunto Nacional, Instituto Akatu pelo Consumo Consciente, Fundação SOS Mata Atlântica e Carta da Terra Brasil.

12h: Flash Mob
Espaço Cultural Conjunto Nacional – Piso térreo
Artistas urbanos comandam atividade aberta ao público sobre consumo no nosso dia-a-dia, com o intuito de sensibilizar as pessoas para a importância de se realizar escolhas mais conscientes.

Dias 3, 4, 7 e 9
Das 11h às 12h30: Oficinas de material reciclável
Espaço Cultural Conjunto Nacional – Piso térreo
Aproveitar materiais recicláveis para transformá-los em flores e brinquedos. Esse é o intuito da oficina que será realizada pelos artesãos da Cooperaacs (Cooperativa Social de Arte Alternativa e Coleta Seletiva).

De 3 a 10
Das 10h às 20h: Exposição e estande SOS Mata Atlântica
Espaço Cultural Conjunto Nacional – Em frente ao Horsa I
Trajetória da Fundação SOS Mata Atlântica e seu Programa de Voluntariado e comercialização de produtos institucionais.

Das 10h às 20h: Teste do Consumidor Consciente
Espaço Cultural Conjunto Nacional – Em frente ao Horsa I
Aplicação e resultado do Teste do Consumidor Consciente, no estande do Instituto Akatu. Distribuição de material e exibição de vídeos e cartazes sobre o tema.

De 3 de junho a 29 de julho
Das 7h às 22h: Instalação “O Fazedor de Montanhas”
Espaço Cultural Conjunto Nacional
Provocar o questionamento sobre o problema do excesso de lixo gerado pelo homem. Inaugurada em setembro de 2006, essa é a proposta da instalação “O Fazedor de Montanhas”, que recebe esse nome em referência à montanha de resíduos que é produzida todos os dias. A instalação dá a oportunidade para que as pessoas reflitam sobre a situação dos catadores de rua.

De 2 a 10 de junho
Das 10h às 22h: Exposição “Sementes da Mudança: A Carta da Terra e o Potencial Humano”
Espaço Cultural Conjunto Nacional
A exposição, premiada na Conferência Mundial sobre Desenvolvimento Sustentável em 2002 em Joanesburgo foi criada pela Soka Gakkai Internacional (SGI) e Earth Charter International. É composta por 30 painéis organizados em torno dos quatro princípios gerais defendidos na Carta da Terra: 1) Respeito e cuidado com a comunidade da vida; 2) Integridade ecológica; 3) Justiça social e econômica; 4) Democracia, não-violência e paz.

De 3 a 10 de junho de 2011
Das 10h às 20h: Bazar Sustentável da Loja Social – Secretaria Municipal de Desenvolvimento e Assistência Social (SMADS) e do Instituto Ecotece
Espaço Cultural Conjunto Nacional

Dia 4 (sábado)
11h: Filme “Uma Revolução Silenciosa”
Cine Livraria Cultura – Sala 2 – Sessão Gratuita
Direção de Cory Taylor, com narração pela atriz Meryl Streep. Considerando toda a preocupação sobre o estado do meio ambiente da Terra, o filme mostra como as atitudes de pessoas comuns podem afetar os problemas em nível global.

Dia 5 (domingo)
11h: Filme “Testemunhos de Hiroshima e Nagasaki: O Brado das Mulheres pela Paz”
Cine Livraria Cultura – Sala 2 – Sessão Gratuita
Produzido em memória das vitimas do bombardeio atômico americano sobre as cidades de Hiroshima e Nagasaki, na Segunda Guerra Mundial, com a finalidade de transmitir o poder maligno das armas nucleares para nunca mais serem utilizadas. É um material educativo em apoio à campanha “People´s Decade for Nuclear Abolition” (Década das Pessoas em prol da Abolição Nuclear) lançada pela Soka Gakkai Internacional.

15h: Palestra “Atlas da Mata Atlântica – 25 anos de monitoramento”, com Márcia Hirota, Diretora de Gestão do Conhecimento da Fundação SOS Mata Atlântica
Livraria Cultura – Artes
Bate-papo sobre os novos dados do Atlas da Mata Atlântica, desenvolvido pela SOS Mata Atlântica e o INPE. O levantamento monitora mais de 3.000 municípios em 16 dos 17 estados do Bioma.

Dia 9 (quinta-feira)
10h: Debate sobre Política Nacional de Resíduos: experiências e desafios, seguido de exibição gratuita do documentário “O Fazedor de Montanhas”
Cine Livraria Cultura – Sala 2
O documentário “O Fazedor de Montanhas” é baseado na moderna teoria do caos e abrange o fenômeno do lixo em todas as suas perspectivas, porque a sua produção não é um feito puramente mecânico, físico e urbano, mas uma realidade que convive com o homem desde a sua origem. O documentário não pretende dogmatizar ou consagrar verdades, mas sim provocar e levar o expectador ao desafio de pensar.
Participam do debate:
– Estanislau Maria de Freitas Jr, Coordenador de Comunicação do Instituto Akatu,;
– Nina Orlow, Integrante da rede das Agendas 21 Locais, do Movimento Nossa São Paulo e do Movimento pelos Objetivos do Milênio;
– Vilma Peramezza, Gerente Geral e Síndica do Condomínio Conjunto Nacional.

Exposição Permanente: Espiral
Espaço Cultural Conjunto Nacional
Obra do artista Nido Campolongo, composta de 34 anéis de compensado laminado, preenchidos por diversas texturas e cores, resultantes das etapas de transformação de matérias recicláveis como alumínio, pet, papelão, madeira, entulho e outros elementos. Inspirada na obra O Método 2, a vida da vida, do filósofo Edgard Morin, a ‘Espiral’ aborda dois aspectos na sua linguagem visual: um de característica não representativa, de qualidade reduzida à sua totalidade, sem relação com nenhuma outra coisa, com finalidade meramente estética; outro, de aspecto representativo, relaciona-se com as práticas socioambientais de organizações e empresas paulistanas.

* * *

ATENÇÃO: os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site. Se achar algo que viole os termos de uso, denuncie. Leia as perguntas mais frequentes para saber o que é impróprio ou ilegal.

Semana do Meio Ambiente no Conjunto Naci…

Tempo de leitura: 8 min
WordPress Lightbox