• Olá, seja bem-vindo(a) ao portal digital do Conjunto Nacional.

Dia do Índio no Conjunto Nacional

1024 683 Conjunto Nacional

São Paulo, SP | Conjunto Nacional | Espaço Cultural

Kayapós da aldeia A’Ukre
no Conjunto Nacional

Em comemoração ao Dia do Índio, o Conjunto Nacional, com apoio da Casa das Culturas Indígenas traz, mais uma vez, os índios Kayapó da aldeia A´Ukre ao edifício, que possui cerca de 400 crianças e 500 adultos.

O objetivo é difundir a riqueza da cultura indígena e ajudá-los a comercializar os objetos produzidos nas comunidades.

Período: De 1 a 20 de abril, das 9h às 20 horas
Local: Espaço Cultural (em frente ao Horsa I)

Índios Kayapó

Os índios Kayapó vivem em várias aldeias espalhadas pelos afluentes do rio Xingu, nos estados do Pará e Mato Grosso.

Eles contam que seus antepassados viviam no céu. Um dia, um guerreiro estava caçando um tatu e cavou tão fundo que abriu um buraco no céu. Os índios fizeram uma longa corda e desceram para viver na Terra. Alguns decidiram ficar no céu, e as luzes das estrelas que vemos hoje em dia são as fogueiras que esses índios fazem lá.

A arte dos Kayapó é bastante sofisticada. Os índios pintam o corpo com desenhos abstratos que são como “roupas” adequadas para cada ocasião do cotidiano e das festas. Os adornos e utensílios são fabricados aproveitando-se todos os materiais disponíveis: madeiras, sementes, penas, ossos e mais recentemente miçangas e outros materiais industrializados que são reinventados pelos Kayapó.

Nos rituais é que se percebe a força visual que emana dos corpos pintados e enfeitados de dezenas de índios. Há uma perfeita harmonia entre o homem e a natureza. Entre o simples e o suntuoso.

Índios Kayapó da aldeia A’Ukre

Segundo a história dos Kayapó, os índios que desceram do céu viviam todos juntos até que um dia descobriram uma grande árvore, às margens do rio Tocantins, da qual nasciam diversas espigas de milho. Eles derrubaram a árvore para plantar as sementes, porém à medida que recolhiam os grãos do milho, começaram a falar línguas diferentes, e se separaram em diversas tribos distintas.

Uma dessas tribos chamava-se mebengokrê, a quem os homens brancos chamaram de “kayapó”. Certo dia os Kayapó faziam uma cerimônia quando houve um desentendimento entre os homens mais novos e os mais velhos. O grupo se dividiu em outros menores, dando origem a vários subgrupos: Metyktire, Gorotire, Xikrin, Kôkraimorô, A’Ukre etc.

Estes subgrupos têm suas rivalidades, mas reconhecem a si próprios como um único povo: os Kayapó.

Iandé – Casa das Culturas Indígenas

Iandé – Casa das Culturas Indígenas é uma loja especializada na arte dos índios do Brasil.

As peças disponíveis na loja são adquiridas diretamente das aldeias e de associações de povos indígenas. São peças únicas e feitas à mão conforme as tradições e conhecimentos de cada etnia indígena. A Iandé – Casa das Culturas Indígenas oferece objetos de 90 etnias indígenas diferentes.

A arte serve nas sociedades indígenas como um meio de se armazenar e transmitir informações. Pode ser comparada a livros. Para os índios, sua arte reforça sua identidade.

Mais informações:
http://www.casadasculturasindigenas.com.br

* * *

Gostou?
Não deixe de compartilhar!

ATENÇÃO: os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site. Se achar algo que viole os termos de uso, denuncie. Leia as perguntas mais frequentes para saber o que é impróprio ou ilegal.

Dia do Índio no Conjunto Nacional

Tempo de leitura: 4 min
WordPress Lightbox